Apesar de chuva, volume do cantareira volta a cair
Publicado em 20/10/2014

Sistema Cantareira chegou nesta segunda-feira (20/10), ao nível de armazenamento de3,5%, o mais baixo da história. As chuvas que atingiram a região metropolitana de São Paulo na tarde de domingo não foram suficientes para evitar a queda de 0,1 ponto porcentual no nível do sistema. 

De acordo com a Sabesp, choveu ontem 23,9 mm no sistema, levando a pluviometria acumulada em outubro a alcançar 24,3 mm. Esse volume ainda representa menos de 20% da média histórica para outubro, de 130,8 mm.

Os dados foram disponibilizados na página da Sabesp no Facebook, mas não estão sendo atualizados no site da empresa desde sexta-feira (17). 

Segundo boletim do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), podem ocorrer pancadas de chuvas rápidas na tarde desta segunda-feira na capital paulista. Uma massa de ar frio diminuirá o calor mas ao longo da semana o tempo volta a ficar seco na Grande São Paulo. 

Justiça libera 2ª cota do volume morto do Cantareira

Na quinta-feira, o presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª região liberou a captação da segunda cota do volume morto do Cantareira pela Sabesp. O governo de São Paulo conta com os 106 bilhões de litros de água da segunda reserva para manter o abastecimento da Região Metropolitana até março do ano que vem.

Na sexta-feira, a Sabesp enviou a clientes um SMS alertando para o risco de falta de água e solicitando economia. "Solicitamos que ECONOMIZEM ÁGUA para mantermos o abastecimento de SP", dizia o texto. 

Outros mananciais
Também foram registradas chuvas em outros mananciais que atendem à Grande São Paulo, mas não em volume suficiente para evitar a redução dos reservatórios.

O Sistema Alto Tietê, onde choveu 7,4 mm no domingo, aparece nesta segunda-feira com 8,8% de armazenamento, ante os 9% de domingo. O Sistema Guarapiranga registrou queda de 0,1 pp em relação a ontem, para 43,2%; o Alto Cotia baixou 0,2 pp, para 31%; o Rio Grande perdeu 0,3 pp, para 72,1%; e o Rio Claro recuou 0,7 pp, para 48,6%.

Voltar para Notícias