SP vai mapear índices de obesidade de alunos da rede estadual
Publicado em 26/08/2013

Cerca de 13 mil alunos do ensino fundamental e ensino médio da rede estadual de ensino de São Paulo vão participar de um mapeamento dos índices de obesidade e sedentarismo feitos pela Secretaria de Educação do Estado em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia. Estudantes de 128 escolas da capital e região metropolitana vão responder a questionários sobre hábitos alimentares e práticas de atividades físicas e terão medidas como peso, altura e circunferência abdominal aferidas pelos educadores.

A intenção é tralar um perfil nutricional dos alunos e a partir dos dados realizar ações de conscientização e orientação individualizada sobre hábitos alimentares mais saudáveis. O mapeamento será feito em setembro. Serão medidos o peso, altura e circunferência abdominal dos estudantes. Seis meses depois, uma nova avaliação será feita para ver se houve redução ou ganho de sobrepeso.

De acordo com a secretaria, o resultado também permitirá conhecer o percentual de fatores de risco detectados nas crianças e nos adolescentes.

Senado quer proibir refrigerantes
A preocupação com os hábitos alimentares dos estudantes levou a Comissão de Assuntos Sociais do Senado a aprovar por unanimidade na quarta-feira (21) um projeto que proíbe a venda em escolas públicas e privadas de bebidas com baixo valor nutricional, como o refrigerante, e de alimentos com alto teor de gordura e sódio, como os salgados. O projeto foi aprovado em turno suplementar - segunda análise do texto em caso de alterações. Caso não haja recurso para que o projeto seja apreciado no plenário, a proposta segue para a Câmara dos Deputados.

Pelo texto, as cantinas que venderem os produtos não recomendados devem ter o licenciamento vedado ou o alvará não renovado. A proposta deixa pendente de regulamentação a definição das bebidas e alimentos que devem ser banidos.

Voltar para Notícias