Inflação pelo IPC-S acumula alta de quase 10% em 12 meses, diz FGV
Publicado em 01/09/2015

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou para 0,22% em agosto, mas acumula alta de 7,22% no ano e de 9,73% em 12 meses, segundo divulgou nesta terça-feira (1) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado está acima do que os economistas das instituições financeiras preevem para a inflação oficial deste ano: 9,28%.
 

De julho para agosto, duas das oito classes de despesa componentes do índice registraram taxas menores, com destaque para o grupo alimentação (de 0,06% para -0,11%). Nesta classe de despesa, legumes e hortaliças pesaram, indo de -7,29% para -10,28%. Também registrou decréscimo em sua taxa de variação o grupo habitação (de 0,5% para 0,36%).

Em contrapartida, os grupos transportes (de 0,13% para 0,18%); vestuário (de -0,3% para -0,1%); educação, leitura e recreação (de 0,45% para 0,48%); comunicação (de 0,21% para 0,36%) e despesas diversas (de 0,09% para 0,12%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

Já o grupo saúde e cuidados pessoais  repetiu a taxa de variação registrada na última apuração, 0,64%.

 

Veja a variação de preços de alguns itens:
Tarifa de eletricidade residencial (0,61% para -0,59%)
Serviço de reparo em automóvel (0,19% para 0,58%)
Salas de espetáculo (0,32% para 1,28%)
Roupas (-0,50% para -0,32%)
Mensalidade para TV por assinatura (1,53% para 2,08%)
Alimentos para animais domésticos (-0,50% para -0,14%)
Artigos de higiene e cuidado pessoal (1,11% para 1,19%)
Medicamentos em geral (0,34% para 0,08%)
Refeições em bares e restaurantes (0,69 para 0,77)
Plano e seguro de saúde (0,98 para 0,99)
Taxa de água e esgoto residencial (1,25 para 1,76)
Aluguel residencial (0,45 para 0,42)
Condomínio residencial (0,95 para 0,71)
Batata-inglesa (-17,67 para -20,28)
Tomate (-14,19 para -17,06)
Cebola (-5,05 para -9,70)
Banana-prata (-6,33 para -7,29)

Voltar para Notícias