Dólar fecha acima de R$ 2,07 pela primeira vez em 5 meses
Publicado em 28/05/2013

O dólar fechou acima de R$ 2,07 pela primeira vez em cinco meses nesta terça-feira (28), após dados positivos dos Estados Unidos sugerirem que o banco central norte-americano poderá diminuir seu programa de estímulo monetário nos próximos meses, reduzindo a liquidez internacional.

A moeda norte-americana fechou em alta de 0,87%, para R$ 2,0741 na venda, atingindo um patamar de fechamento que não era registrado desde o final de dezembro do ano passado.

No entanto, analistas destacavam que os investidores seguiam cautelosos antes da decisão do Banco Central brasileiro sobre a taxa básica de juros do país, devido a dúvidas quanto à intensidade do aperto monetário que deve vir na quarta-feira.

Confiança do consumidor nos EUA
Expectativa de menor liquidez mundial ganhou força nesta terça-feira, após a confiança do consumidor dos Estados Unidos se fortalecer em maio para o maior nível em mais de cinco anos, saltando para 76,2 ante 69 em abril e superando as expectativas de economistas, que previam uma leitura de 71.

Taxa de juros
Mas analistas ponderavam que a cautela antes do Copom segurava uma alta mais expressiva do dólar no mercado doméstico. O BC define nesta quarta-feira (30) a nova Selic.

"Se vier uma alta grande na taxa de juros, isso vai implicar na queda do dólar, porque abre a perspectiva de maior entrada de capital externo", afirmou o superintendente de câmbio da Intercam Corretora, Jaime Ferreira.

A curva de juros embute majoritariamente uma alta de 0,50 ponto na Selic, atualmente em 7,5%. Já o relatório Focus mostrou que economistas de instituições financeiras esperam elevação de 0,25 ponto percentual, enquanto uma pequena maioria dos economistas consultados pela Reuters espera alta de 0,50 ponto.

O dólar avançou 2,7% ante o real em maio até o fechamento da última sessão devido, principalmente, aos temores em relação ao futuro da política monetária dos Estados Unidos.

Da Reuters
 

Voltar para Notícias